3 de Janeiro de 2017 às 16:00h

A Feira fica?

 

“Caso a feira venha a sair…”

 

“Se a Sulanca for transferida…”

 

“Vamos estudar a transferência e decidir…”
 
Em todas as entrevistas concedidas desde que assumiu a prefeitura, Raquel Lyra vem dando sinais de que a transferência não é tão certa assim. O curioso é que a “candidata Raquel” falava na saída da feira sem custo para o feirante, sem demonstrar dúvida.

 

A dúvida veio logo após a eleição, em uma entrevista do ex-governador João Lyra Neto ao programa Repercutindo, da TV Jornal. Ele afirmou que a feira podia, inclusive, não ir para o terreno que foi comprado durante a gestão Queiroz.

 

Após as falas de Raquel, sem dar certeza da transferência, veio a fala do secretário de gestão e serviços. Na primeira entrevista após assumir a função, no dia 2 de janeiro, afirmou que iria estruturar o Parque 18 de maio e que “precisava ver se era interessante ou não a transferência”.

 

Na terça-feira (3), em entrevista ao programa Além da Notícia, na Rádio Jornal, foi a vez do vice-prefeito Rodrigo Pinheiro afirmar que não existe 100% de certeza sobre a mudança.

 

Em meio a crise em que estamos, seria bom um pouco de previsibilidade para trabalhar, para investir. O comerciante hoje não sabe se pode gastar dinheiro no local em que está, se investe no próprio negócio, porque não sabe o futuro da Sulanca.

 

E, caso a Feira não saia, seria bom que a nova gestão explicasse o que vai ser feito com o terreno adquirido para a transferência. Sabendo que os R$ 10 milhões gastos para comprar a área poderiam ter sido utilizados para diversas outras necessidades. 
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.