16 de setembro de 2014 às 08:06h

A lógica absurda

As estradas federais em Pernambuco tem policiamento escasso e a PRF não tem nenhum plano de patrulhamento, visível, para dias de maior movimentação financeira, como o da feira da Sulanca, em Caruaru.
 
Este é o dia em que os veículos viajam abarrotados de mercadorias e que os milhares de ocupantes desses carros chegam abarrotados de dinheiro. Não porque eles são ricos, mas porque juntam para fazer compras nas cidades do polo têxtil. E é assim que sustentam as próprias famílias: comprando e vendendo.
 
Quando eles estão na estrada, aquele dinheiro é resultado de anos de trabalho. É, muitas vezes, todo o capital de giro dessas pessoas.
 
O dinheiro que eles trazem nos bolsos movimenta a economia da região e ajuda a sustentar outras milhares de famílias que dependem da comercialização na Feira da Sulanca.
 
Mas, toda segunda-feira, por falta de policiamento, os ocupantes dos veículos são assaltados. E aí, todo mundo perde. Vendedores, compradores e até os policiais terminam prejudicados.
 
Menos os bandidos.
 
Qual a moral, absurda, dessa história?
 
“Vale mais a pena ser bandido do que ser trabalhador no Brasil”.
 
Depois da eleição, arrumo as malas e viajo. Sem dinheiro, pra não ser assaltado no caminho.
 
E vou morar no guia eleitoral.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.