9 de outubro de 2014 às 08:28h

Abraço constrangido sela apoio do PSB a Aécio Neves

aecio-neves-psb
A foto é simbólica e cabe interpretação.

 

Aécio parece dizer – “confie em mim”.

 

Roberto Amaral responde – “E eu tenho escolha?”

 

No que diz respeito às alianças partidárias para o segundo turno,  a do PSB com o PSDB era a mais sensata, lógica e esperada desta eleição. Talvez, por isso, foi a mais difícil de ser fechada.

 

A dificuldade deveu-se à interferência do PT, que ofereceu a Roberto Amaral a opção de ficar neutro e liberar os Estados para apoiar Dilma. Amaral aceitaria de bom grado, já que é amigo de Lula e a oferta pode ter sido generosa. Mas 21 diretórios preferiram embarcar com Aécio. Cada um deve ter suas pesquisas internas, cada um sabe o que é melhor para a própria sobrevivência.

 

Ao menos, sobreviveu a coerência eleitoral. Aliar-se ao PT agora seria jogar tudo o que Eduardo Campos fez, nos últimos meses, na lata do lixo.   Inclusive,  seria ignorar os ataques que Marina Silva recebeu da campanha petista.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.