17 de dezembro de 2013 às 07:40h

Acusado de executar promotor será solto nesta terça-feira

81934c24908217d616f90318bd739f62
 
Preso no Centro de Triagem (Cotel) de Abreu e Lima desde o dia 16 de outubro, sob a suspeita de participar do assassinato do promotor Thiago Faria Soares, 36 anos, em Itaíba, Agreste pernambucano, o agricultor Edmacy Cruz Ubirajara, 47, deve ser posto em liberdade nesta terça-feira (17). A revogação da prisão foi determinada pelo juiz da 5ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), Diógenes Barreto. O magistrado entendeu que, como a Justiça pernambucana ainda não deflagrou nenhuma ação penal que indique a participação de Edmacy na morte do promotor, não há motivos para que ele permaneça preso.
 
O processo do agricultor corre na Justiça de Sergipe porque ele responde a uma acusação de homicídio qualificado naquele Estado. Quando o assassinato do promotor aconteceu, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou que Edmacy continuasse preso por estar envolvido novamente em um crime de natureza grave.
 
“Edmacy só não foi posto em liberdade na segunda-feira porque a carta precatória do TJSE ainda não chegou a Pernambuco. Assim que ela chegar o oficial de justiça assinará o alvará e ele será liberado. Não há nenhuma razão para que ele esteja preso”, afirmou o advogado do suspeito, José Leandro Barbosa.
 
O CASO – O promotor Thiago Faria Soares foi morto a tiros no dia 14 de outubro na PE-300, estrada que liga Itaíba a Águas Belas, no Agreste. Dois meses depois do crime, o inquérito do caso ainda não foi concluído. Suspeito de realizar os disparos que mataram o promotor, Edmacy Cruz Ubirajara foi preso apenas dois dias após o homicídio. O principal suspeito de ser o mandante da morte, o fazendeiro José Maria Pedro Rosendo Barbosa, está foragido.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.