22 de novembro de 2013 às 07:14h

Adutora do Pajeú começa a funcionar antes do tempo previsto e já leva água para torneiras

Adutora do Pajeú e Transnordestina
 
A Adutora do Pajeú já está abastecendo a cidade de Afogados da Ingazeira, levando água à população do sertão pernambucano antes do prazo previsto para a conclusão do trecho, firmado para dezembro. Mais de 210 mil pessoas estão sendo beneficiadas.
 
A obra do Ministério da Integração Nacional – executada pelo Departamento de Obras Contra a Seca (Dnocs/PE) – tirou da situação de colapso no abastecimento hídrico também as cidades de Calumbi, Carnaíba, Flores, Floresta, Serra Talhada e Quixabá, além dos distritos de Carqueja (em Floresta) e de Canaã (em Triunfo).
 
A superintendente do Dnocs no estado, Rosana Bezerra, considerou a conclusão dessa etapa a concretização de um compromisso. “Afogados da Ingazeira está sendo abastecida com uma vazão de 110 litros/segundo, mais do que previsto no projeto, para podermos abastecer a cidade em sua plenitude”, afirmou.
 
Com investimento de R$ 200 milhões, a primeira etapa da Adutora do Pajeú tem cerca de 200 quilômetros de tubulação – com diâmetros que variam de 250 a 600 mm – e quatro reservatórios de controle e cinco estações elevatórias, iniciando a captação de água no Lago de Itaparica.
 
A construção da segunda fase – prevista para atender mais de 230 mil pessoas em 14 municípios de Pernambuco e oito da Paraíba – está em processo de licitação. No total, a adutora terá 598 quilômetros de extensão, com a capacidade para beneficiar 400 mil pessoas em 21 municípios pernambucanos e oito paraibanos.
 
As duas etapas estão orçadas em R$ 547 milhões e fazem parte do conjunto de obras em execução com recursos do governo federal, para construir no semiárido nordestino uma infraestrutura hídrica capaz de reduzir os efeitos causados pelos períodos de seca.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.