28 de maio de 2014 às 08:51h

Arquidiocese dá primeiro passo para transformar dom Helder em santo

HR030706043-580x869
 
As sementes cultivadas pelo do Dom da Paz ao longo da vida religiosa podem transformá-lo em santo. O arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, deu o primeiro passo, nesta terça-feira (27), para pedir a canonização de dom Helder Camara.
 
Saburido assinou uma carta que será encaminhada à Congregação da Causa dos Santos, em Roma, solicitando autorização para dar início ao processo de canonização do religioso (1909-1999) que teve forte atuação contra a ditadura militar de 1964 e se tornou conhecido pela dedicação aos mais pobres.
 
Arcebispo emérito de Olinda e Recife, Camara também tornou-se célebre pela atuação ativa no combate às arbitrariedades do regime militar. Dom Helder foi um religioso popular e corajoso, famoso por envolver multidões.
 
O pedido de canonização foi anunciado por dom Fernado momentos antes da Comissão da Verdade apresentar a conclusão oficial sobre o assassinato do Padre Henrique, ocorrido há 45 anos.
 
Padre Antonio Henrique Pereira morreu vítima de “crime político”, conforme apontam as investigações da Comissão da Verdade. O religioso era assessor de dom Hélder na Comissão de Justiça e Paz (CJP). Ele foi sequestrado, torturado e teve o corpo abandonado em um terreno baldio do Recife.
 
Apesar da atuação expressiva no Estado de Pernambuco, dom Helder nasceu no Ceará e foi um dos mais influentes personagens da Igreja Católica no século 20.
 
ETAPAS DO VATICANO – Antes de tornar-se santo, porém, será preciso enfrentar algumas etapas. Primeiro, o postulante deve ser reconhecido como Servo do Senhor. Posteriormente, ter o reconhecimento das virtudes heróicas. Depois, o papa precisa aprovar um compêndio de relatos e estudos. Na penúltimo degrau é feita a beatificação e, em seguida, vem a canonização, com o critério da ocorrência de um milagre depois da nomeação como beato.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.