12 de dezembro de 2013 às 07:41h

Até os policiais que trabalham internamente no 4º Batalhão da PM vão sair para fazer a segurança da Sulanca na próxima segunda-feira

unnamed (1)
 
A reunião para discutir o reforço na segurança para a próxima Feira da Sulanca foi realizada na manhã desta quarta, 11, na Diretoria de Feiras e Mercados, localizada no Parque 18 de Maio. Participaram a Polícia Militar, Polícia Civil, Destra, Associação de Sulanqueiros, Associação dos Lojistas do Parque 18 de Maio e Secretaria de Serviços Urbanos.
 
A Polícia Militar vai reforçar o efetivo com equipes do GATI (Grupo de Apoio Tático Itinerante) vindas de municípios vizinhos, equipes de Rádio Patrulha do Recife, além de equipes da ROCAM de outros batalhões do Estado e do helicóptero da Secretaria de Defesa Social, que esteve na última feira. “Também não haverá expediente administrativo na próxima segunda. Todo o efetivo que trabalharia no Batalhão de Caruaru estará na feira, reforçando a segurança. É o que chamamos de fecha batalhão”, explicou o Capitão Edmilson.
 
A Polícia Civil conta com delegacia móvel, com um delegado, um escrivão e três agentes. Haverá mais uma equipe. “Na última feira, foram registrados 15 boletins de ocorrência. É preciso que as vítimas não tenham medo e prestem queixa. Só assim poderemos dar a resposta à sociedade”, alertou o delegado regional Neemias Falcão.
 
A Destra vai, novamente, contar com o apoio do Detran, do Recife, além de mudar a circulação no entorno do Sesc. “Vamos proibir o acesso de veículos nas proximidades do Sesc para facilitar a movimentação”, afirmou o gerente de fiscalização Alex Monteiro.
 
A Secretaria de Serviços Urbanos vai repetir a fiscalização para que a feira comece rigorosamente às 6h, a exemplo da última segunda-feira, e também vai pedir o apoio do Corpo de Bombeiros. “Foi sugerido que uma viatura fique em um ponto estratégico, além de uma ambulância da Secretaria de Saúde. Vamos acionar esses parceiros para aperfeiçoar o esquema de segurança”, garantiu o secretário André Alexei. O diretor de feiras e mercados, Jorge Quintino, acredita que o reforço vai surtir efeito. “Acredito no diálogo e conseguimos fazer os ajustes necessários”, disse.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.