13 de janeiro de 2014 às 07:57h

Atuando como interlocutor, Fernando Bezerra Coelho busca investimentos para Pernambuco

EDP
 
O ex-ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, está em Lisboa, onde conversou com o presidente mundial da EDP, Antonio Mexia. A multinacional portuguesa, que atua nas áreas de produção, distribuição e comercialização de energia, é uma das maiores da Europa, com presença em 12 países. Fernando Bezerra conheceu os dirigentes da multinacional quando comandou a secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico e o Porto de Suape, entre 2007 e 2010. A viagem a Portugal surgiu a convite da EDP, para discutir possíveis investimentos no porto pernambucano. Mesmo não estando mais na gestão, Fernando Bezerra é apontado pelos investidores como um importante interlocutor de Pernambuco.
 
“Fico feliz em poder colaborar com o Estado. Conheço bem a realidade de Suape e da nossa economia e por isto mesmo vou tentar agendar uma missão oficial a Pernambuco, para que eles possam ver de perto nossa infraestrutura e conversar com o governador Eduardo Campos”, disse Fernando Bezerra.
 
A intenção da multinacional é desenvolver em Pernambuco um terminal de regaseificação, que faz com que o produto liquefeito retorne ao estado gasoso. Esta iniciativa multiplicaria por 5 a oferta de gás da Copergas, hoje em torno de 1 milhão de metros cúbicos/dia. O terminal tornaria as empresas pernambucanas mais competitivas em função do preço do produto em comparação à energia elétrica disponível.
 
A Petrobras havia demostrado Interesse em fazer sozinha o terminal, mas com a revisão em seus planos de investimento, a alternativa pode ser uma aliança internacional. A proposta é tentar costurar uma parceria entre EDP, Copergas e Petrobras. Neste caso também está prevista a entrada de mais um parceiro fornecedor da matéria prima, que poderia ser Angola ou Argélia, onde os portugueses já atuam. O investimento estimado é de 5 bilhões de dólares. Há aproximadamente 15 anos os pernambucanos lutam para contar com um equipamento de regaseificação.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.