30 de setembro de 2015 às 08:29h

Bandas de pífano podem se tornar Patrimônio Imaterial da Cultura Brasileira

Banda de Pífanos Alvorada

Banda de Pífanos Alvorada


 
O 5° Tocando Pífanos, encontro que reúne tocadores de pífano de várias partes do país, começa nesta sexta, 02 de outubro, em Olinda, e vai até o dia 03. O evento reúne shows, palestras, oficinas e até lançamento de livro sobre o tema. Durante o encontro será encaminhado ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) a solicitação de reconhecimento das bandas de pífanos como Patrimônio Imaterial da Cultura Brasileira. “Nosso objetivo é promover a arte histórica da música que surgiu em torno desse instrumento secular comum no Nordeste”, explica o produtor do evento, Amaro Filho.
 
Na programação shows gratuitos na Praça Laura Nigro, na Ribeira, Cidade Alta de Olinda. Na sexta, 02, a partir das 20h30, tem as bandas de pífanos São Cristovão (Panelas-PE) e Pífanos Alvorada (Caruaru/PE). Já no sábado, 03, o Grupo Musical Armorial de Piranhas (Piranhas-AL) se apresenta às 22h, seguido da banda Sebastião Biano e seu Terno Esquenta Muié (São Paulo-SP), fechando a noite.
 
Um dos momentos de grande relevância do evento será o cortejo das bandas de pífano que seguirão do Museu de Arte Contemporânea (MAC), no sábado, 03, às 17h, até a sede do Iphan, na Cidade Alta de Olinda para concretizar a solicitação para se tornar patrimônio cultural. A entrega dos documentos será realizada pelo consagrado pifeiro Sebastião Biano, de 96 anos, último remanescente da formação original da Banda de Pífanos de Caruaru, de 1914. O evento segue com homenagens ao mestre Egildo Vieira, que faleceu há pouco, e Manoel Ribeiro – mestre Lunga de Caruaru, pifeiro mais antigo em atividade na cidade.
 
O encontro oferece também programação gratuita durante os dois dias, com oficina prática de confecção de zabumbas, ações de salvaguarda das bandas de pífano, bate-papo com os mestres, palestras e lançamento de livro sobre o tema. O 5º Tocando Pífanos registra, nas cinco edições anteriores, mais de 80 atividades para a preservação e continuidade das bandas de pífanos através da música e seus costumes. “Esse encontro é importante para apresentar esta arte a mais e mais pessoas e, ainda, fazer com que os pifeiros se sintam orgulhosos do seu trabalho, que é uma das formas de expressão da cultura brasileira”, explica Amaro Filho. O 5° Tocando Pífanos tem incentivo do Funcultura/Governo de Pernambuco e apoio da Prefeitura de Olinda.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.