20 de fevereiro de 2014 às 08:43h

Candidato ao governo com possível apoio de Dilma, Armando defende Mais Médicos

unnamed (5)
 
O senador Armando Monteiro (PTB) defendeu nesta terça-feira (18) o programa Mais Médicos do Governo Federal, destacando que a iniciativa garante mais doutores para o Brasil e mais acesso à saúde para a população. O senador lembrou que, apenas em Pernambuco, 438 médicos prestaram 1,5 milhão de atendimentos no âmbito do programa e destacou que esses profissionais integram um grupo ainda maior que, no País, totaliza 6.658 médicos, beneficiando 23 milhões de pessoas no interior e periferias das grandes cidades. Armando também defendeu a proposta de negociação entre os governos do Brasil e de Cuba para conceder reajuste salarial aos profissionais cubanos participantes do programa.
 
“O programa Mais Médicos faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento às pessoas, especialmente aos que moram em regiões onde há escassez e ausência desses profissionais. Com a convocação de médicos, o Governo Federal garantirá acesso à saúde para a população”, disse. O senador lembrou que grande parte desses brasileiros jamais havia feito uma consulta e sofria com doenças fáceis de curar, que, sem atendimento, acabaram se tornando crônicas.
 
O programa Mais Médicos foi lançado no segundo semestre de 2013 e já está entre as ações de maior êxito do governo Dilma Rousseff. Armando lembrou que os profissionais realizam ações de prevenção, orientação e acompanhamento com o único objetivo de promover a saúde da população. O senador acredita que, com o reajuste salarial aos médicos cubanos, será superado um dos aspectos mais criticados do programa. “O Governo não hesitou em trazer médicos de Cuba e de vários outros países e que se juntaram aos brasileiros afim de contornar o problema da baixa disponibilidade interna de profissionais na área”, disse.
 
Armando observou que, em função das grandes desigualdade regionais que o Brasil ainda enfrenta, possui apenas 1,8 médicos por mil habitantes, bem menos que Cuba, por exemplo, onde essa proporção é de seis médicos por mil habitantes. Também registrou que, de um total de 200 milhões de brasileiros, apenas 48 milhões têm planos ou seguros privados de saúde. Os demais 150 milhões dependem exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS).
 
Crédito da foto: Ana Luiza Sousa/divulgação

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.