12 de novembro de 2014 às 07:19h

Caso suspeito de ebola é descartado em Caruaru

SONY DSC
 
A Secretaria de Saúde de Caruaru realizou no final da tarde desta última terça-feira (11) uma coletiva de imprensa para informar que está descartada a possibilidade de caso de ebola no município, tendo em vista que o paciente era procedente da Guiné Equatorial, local onde não há casos da doença. O trabalhador da construção civil, G.V.S de 44 anos foi encaminhado para o Hospital Universitário Oswaldo Cruz no início da tarde de ontem para o internamento e investigação melhor do seu quadro clínico. A UPA do Vassoural passou por um processo de desinfecção e já está em funcionamento desde às 20h do mesmo dia.
 
De acordo com Wedneide Almeida, Secretária de Saúde, a interdição foi necessária, pois essa é a medida protocolada pelo Ministério da Saúde. “A unidade decidiu fechar o plantão por medida de segurança.”, declarou.
 
Para o Diretor de Vigilância em Saúde do município, Paulo Florêncio, nenhuma pessoa internada na UPA do Vassoural teve contato direto com paciente, não havendo motivos para pânico. “Queremos tranquilizar a população. A doença só é transmitida através de contato direto com a secreção do paciente. Muitos foram transferidos para outras unidades e isolamos a área. Já os trabalhadores utilizaram todos os equipamentos adequados de proteção”, explicou.
 
Participaram do encontro também o coordenador da Vigilância em Saúde do Estado, Efrain Naftali; a coordenadora da Vigilância Epidemiológica do Estado, Conceição Maciel e a diretora da Atenção Especializada do município, Ana Elizabete França.
 
Entenda o histórico do paciente – O trabalhador da construção civil, G.V.S. 44 anos, chegou à UPA do Vassoural às 9h, desta terça-feira (11) com histórico de cefaléia há um dia, artralgia, tosse seca há um dia e febre há 12 horas. Relatava que esteve durante quatro meses no Guiné Equatorial e chegou à cidade há uma semana.
 
Deu entrada em bom estado geral, consciente, orientado, com temperatura 38,5ºc e pressão arterial 110×80 mmHg, sendo direcionado à enfermaria de curta permanência, sem contato com outros pacientes; após atendimento médico, para notificação do caso, foi realizado contato por parte da equipe da unidade com a Vigilância Sanitária do município, que chegou na unidade em aproximadamente 30 minutos de posse dos EPI’s – Equipamentos de Proteção Individual .
 
O Dr. Demétrius Montenegro, infectologista de referência da Secretaria de Saúde do Estado, após ser informado do quadro clínico do paciente, descartou a possibilidade de Ebola. Desta forma, e seguindo as orientações do médico sobredito, foi colhido material para teste rápido de malária, cujo resultado foi negativo, após o resultado do teste foi liberado um leito no HUOC – Hospital Universitário Oswaldo Cruz, para internamento e melhor investigação do paciente.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.