7 de outubro de 2014 às 07:30h

Com Aécio no segundo turno contra Dilma, bancos e estatais puxam maior alta da Bolsa em 2 anos; Petrobras salta 11%

Na primeira sessão depois do primeiro turno das eleições, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou com forte alta de 4,72%, aos 57.115,9 pontos. É a maior alta percentual diária desde 27 de julho de 2012, quando a Bolsa subiu 4,72% também.
 
O destaque foi o salto de 11% das ações preferenciais da Petrobras (PETR4), que foram as mais negociadas do dia. Outras estatais e bancos, as empresas mais afetadas pelo cenário político, também tiveram influência na alta da Bolsa.
 
A ação do Banco do Brasil (BBAS3) fechou com alta de 11,92%, a R$ 29,11. Eletrobras (ELET6) avançou 6,46%, para R$ 10,38; o Itaú (ITUB4) ganhou 5,36%, a R$ 36,73; e o Bradesco (BBDC4) subiu 7,56%, a R$ 38.
 
A eleição presidencial foi para o segundo turno, e será disputada entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) no próximo dia 26.
 
Analistas consultados pela agência de notícias Reuters dizem acreditar que a instabilidade no mercado financeiro deve continuar pelas próximas três semanas.
 
No mercado de câmbio, o dólar comercial fechou em queda de 1,43%, a R$ 2,427 na venda. É a maior queda percentual diária desde 4 de abril, quando o dólar tinha caído 1,7%.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.