15 de maio de 2014 às 07:40h

Com greve da PM, clima é de insegurança na Capital e no Interior

A greve da Polícia Militar, deflagrada na última terça-feira (13), colocou em risco a segurança da população de Pernambuco. Vários arrastões foram registrados no Recife em avenidas de grande circulação. No interior, cidades como Santa Cruz do Capibaribe tiveram bancos fechando as portas pelo risco de assalto. Por lá, a orientação era para que o comércio não funcionasse nesta quinta-feira e que as pessoas evitassem andar com grandes quantias em dinheiro.
 
Em Caruaru, os policiais militares e bombeiros passaram a quarta-feira aquartelados. Ninguém saiu para trabalhar e as viaturas não deixaram o pátio do Batalhão.
 
Os policiais reclamam da falta de estrutura para trabalhar e dos equipamentos precários. Um dos grevistas, que não pode ser identificado (eles podem ser presos e sofrer punições administrativas se falarem), disse que não existe treinamento adequado e para praticarem tiro, por exemplo, cada policial tem que comprar a própria munição. Além disso, faltam coletes à prova de balas e até algemas.
 
Em relação ao salário, os grevistas pedem reajuste de 50% nos soldos. O Governo ofereceu 14%.
 
Sem acordo na reunião de ontem, o governador João Lyra Neto resolveu pedir apoio ao Governo Federal. Nesta quinta-feira (15), soldados da Força Nacional de Segurança já chegam ao Estado para fazer o policiamento nas ruas.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.