11 de novembro de 2015 às 10:40h

Começou a corrida pela Prefeitura de Caruaru

Com a impossibilidade de reeleição de José Queiroz, os grupos políticos da cidade já estão sem movimentando para conquistar a cadeira do gestor da cidade. Se por um lado a briga pela presidência do PSB em Caruaru acabou, com a ascensão de Raquel Lyra, por outro, Jorge Gomes, ainda se agarra na expectativa de uma nova interferência da Executiva Estadual.
 
“O presidente Sileno Guedes me disse que não existe nenhuma garantia de que Raquel será a candidata pelo PSB. E se em abril o partido decidir que a candidata não seja ela? Se a aliança com o PDT for mantida, ela fica no partido? São perguntas que precisam ser respondidas”, afirmou Jorge numa rádio local.
 
Por outro lado, Raquel tem rasgado seda para a família Gomes, falando sobre a permanência deles no partido e do apoio futuro que darão à candidatura dela. Laura Gomes está no partido há mais de 20 anos.
 
Enquanto isso, aliados do prefeito José Queiroz têm espalhado sobre uma possível aliança entre Raquel e Tony Gel (PMDB), descarta por ambos, por questões políticas e, principalmente, matemática. Gel tem 30% dos votos e o eleitor não entenderia essa aliança, sairia perdendo, mesmo que vencessem a eleição juntos.
 
E para mostrar que o grupo está bem vivo e atuante, o peemedebista já está organizando uma confraternização em dezembro, para receber aliados, correligionários e mostrar força ao presidente estadual do PMDB, Raul Henry, e ao deputado Jarbas Vasconcelos.
 
Quietos, mas com candidato próprio à majoritária, o PSDB tenta convencer o empresário Djalma Cintra Jr a assumir a cabeça de uma chapa e alavancar o nome do partido.
 
Outro que está calado, mas bem articulado, é o senador Douglas Cintra, que tem aparecido em todos os eventos que debatem sobre economia, com a postura de um empresário com recursos e acesso ao Congresso Nacional, embora, diga que não tem certeza se será candidato.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.