11 de março de 2014 às 07:49h

Decisão do desembargador Gustavo Lima não garante volta de vereadores, mas ajuda na argumentação dos advogado

vereadores_presos_aguinaldo_lima_662x287
 
Os vereadores beneficiados com a decisão do desembargador Gustavo Lima, que determinou a volta deles ao trabalho, não terá efeito prático enquanto o outro processo, da Vara Pública da Fazenda, não for apreciado pelo Tribunal. A ordem do desembargador, para que os cinco edis envolvidos na Operação Ponto Final 2 voltassem imediatamente ao trabalho, é apenas metade do caminho.
 
Apesar disso, em entrevista ao TV Jornal Notícias de ontem, o advogado Saulo Amazonas, que integra a defesa dos acusados, admitiu que é um passo importante para conseguir a volta deles ao trabalho. A equipe jurídica vai utilizar a decisão do desembargador como argumentação para reforçar o pedido de reintegração aos cargos que já corre na justiça. Vão tentar fazer com que a decisão de um desembargador reforce a do outro.
 


Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.