6 de novembro de 2015 às 11:43h

Delegacias sem delegados no Interior de Pernambuco

Do Jornal do Commercio
 
Não é só a Central de Plantões da Polícia Civil que agoniza sem conseguir suprir a demanda dos flagrantes diariamente. Delegacias do Interior de Pernambuco permanecem sem delegados titulares. Para tentar suprir a demanda, profissionais precisam acumular duas e até três delegacias, fazendo uma espécie de rodízio durante a semana para estar nos municípios vizinhos e solucionar os crimes.
 
Levantamento realizado pelo Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Simpol), a pedido do RondaJC, listou as principais cidades onde não há delegados titulares:
 
Mata Norte – Macaparana, Condado e Ferreiros
 
Mata Sul – Água Preta, Xexéu, Jaqueira, Belém de Maria, Joaquim Nabuco, Cortês
 
Sertão – Santa Cruz da Baixa Verde, Calumbi, Ingazeira, Iguaraci, Carnaíba, Quixaba, Solidão, Santa Terezinha, Tuparetama, Brejinho
 
Agreste – Palmeirina, Lagoa do Ouro, Correntes, Angelim, Lajedo, Jucati, Capoeiras, Iati, Paranatama
 
O problema é antigo. Em 2011, o então secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, chegou a anunciar concurso para 200 vagas de delegados durante audiência pública na Assembleia Legislativa de Pernambuco. Logo depois, voltou atrás e reduziu o número pela metade. O mandato anterior chegou ao fim e o concurso não saiu do papel. Neste ano, o governador Paulo Câmara confirmou que serão abertas 100 novas vagas para delegado.
 
A previsão é de que o concurso seja realizado no primeiro semestre de 2016. Se os prazos previstos forem cumpridos, os profissionais devem assumir seus postos até o início de 2017, minimizando o déficit de delegados no Interior.
 
Até lá, a população de alguns dos municípios listados acima continuará batendo a porta das delegacias, procurando os delegados e sendo informada de que os mesmos viajaram para atender a demandas de outras localidades. Um transtorno.
 


Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.