14 de julho de 2014 às 08:35h

Dilma é vaiada na entrega da taça

000_DV1819460
 
Foi rápido o momento em que a presidente Dilma Rousseff (PT) pegou a taça da Copa do Mundo das mãos do gestor da Fifa, Joseph Blatter, e passou para o capitão da seleção alemã, Philipp Lahm, neste domingo (13). Mas deu tempo para ser vaiada, embora em coro bem menor que o do Itaquerão, que também a xingou há um mês, na abertura da competição.
 
Xingamentos tímidos iguais aos primeiros – “Ei, Dilma, vai tomar no c…” – também foram ouvidos no início do segundo tempo. O grupo foi abafado por uma vaia.
 
O Palácio do Planalto cogitou a possibilidade de a presidente não entregar a taça ao capitão da seleção campeã para evitar a repetição das vaias em São Paulo, mas mudou de ideia.
 
000_DV1820210
 
Embora tenha voltado atrás, Dilma não não assistiu à cerimônia de encerramento da Copa do Mundo, aproximadamente uma hora antes do jogo entre Alemanha e Argentina, vencido por 1 x 0 pelos alemães. Segundo agências, a ausência da presidente provocou mal-estar entre dirigentes da Fifa e outras autoridades, como o presidente russo, Vladimir Putin, e a chanceler do país campeão, Angela Merkel. Alguns deles comentavam em voz baixa que se tratava de descortesia em eventos semelhantes.
 
Antes da partida final da Copa, Dilma recebeu nove chefes de Estado para um almoço, no Palácio Guanabara, sede do governo do Rio. O cardápio teve comidas brasileiras, com carpaccio de pupunha, carne seca com queijo coalho, filé mignon, robalo, massa recheada com queijo minas e doces de frutas, e foi acompanhado por vinho gaúcho. Segundo assessores do governo, o almoço teve clima descontraído.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.