14 de Maio de 2015 às 08:51h

Do “dedo na cara” ao “pires na mão” em seis meses

A sacrosanta Constituição Federal, esta rainha da Inglaterra em papel que, no Brasil, tal qual a velhinha inglesa, tem muito poder mas em nada manda.
 
Foi o primeiro pensamento que tive quando soube que tanto o prefeito José Queiroz quanto o governador Paulo Câmara estavam em Brasília para pedir dinheiro à presidente Dilma.
 
As manchetes amenizam a situação: “Buscar parcerias”, “Incluir Pernambuco em programas de concessões”. O popular é o bom e velho “Viajou de pires na mão”.
 
A Constituição Brasileira diz que os Estados e Municípios são autônomos. Uma piada.
 
Os Estados e Municípios, nos últimos anos, tornaram-se tão dependentes da União que facilmente observamos prefeitos e governadores irem do “dedo na cara” (na eleição) ao “pires na mão”.
 
Paulo Câmara e José Queiroz são apenas dois dos muitos que não apoiaram a presidente Dilma Rousseff e agora necessitam de apoio do Governo Federal para, no mínimo, manter estados e municípios funcionando.
 
A maneira como as verbas públicas foram sendo controladas pela União, nos anos de PT, praticamente centralizando tudo nos cofres de Brasília, transformou o item que trata da autonomia dos estados e municípios em balela.
 
A autonomia dos prefeitos e governadores, então, todos com medo de após a eleição ficarem sem dinheiro para governar, é outra ilusão.
 
Neste mundo, quem tem a chave do cofre, manda. E, em tempos de crise, na qual Lula e Dilma inseriram o Brasil, o poder do dinheiro aumenta e pode significar sobrevivência mesmo.
 
Todo o poder ao PT e Deus salve a Rainha!
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.