17 de julho de 2014 às 09:01h

Em atrito com prefeito interino, secretários pedem exoneração em Petrolina

SONY DSC
 
Do JC
 
O ano não é de eleição municipal, mas os ânimos estão acirrados em Petrolina, no Sertão. Ontem, todo o secretariado pediu demissão ao prefeito interino, Osório Siqueira (PSB), que assumiu o cargo há poucos dias no lugar de Júlio Lóssio (PMDB), licenciado por problemas de saúde. De acordo com Daniel Campos, ex-secretário de Comunicação, a decisão é uma resposta à atitude do atual gestor de exonerar os secretários de Finanças, Júlio Lóssio Filho (tio do prefeito licenciado) e de Ciência e Tecnologia, Nilton Matsumoto.
 
“Quando Osório assumiu, o discurso era de continuidade da gestão. Mas depois ele resolveu demitir os dois secretários com a justificativa de que era preciso mudar para dar uma marca própria à gestão. Em solidariedade aos nossos colegas, pedimos demissão de maneira irrevogável. Agora, ele pode ficar à vontade para formar uma nova equipe”, declarou Daniel Campos.
 
A reportagem ligou para a prefeitura, mas a secretária do prefeito disse que ele só falaria sobre o assunto hoje, em uma coletiva de imprensa. O filho do prefeito licenciado, Júlio Lóssio Filho (homônimo do secretário demitido), disse que o foco da família é cuidar do gestor. Julinho, como é conhecido, disse que “em quanto menos tempo o pai melhorar, melhor para Petrolina, que está nas mãos de quem perdeu a eleição e não aceita a derrota”.
 
Ele disparou críticas aos adversários do pai na cidade. “Enquanto meu pai estava na UTI, Fernando Bezerra (PSB) estava no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tentando viabilizar a sua cassação. Dizem que até na guerra o respeito aos feridos existe”, comentou, por e-mail.
 
Júlio Lóssio pediu licença de 60 dias para cuidar da saúde – ele se recupera de um AVC -, e o vice-prefeito Guilherme Coelho (PSDB) abriu mão de assumir a gestão de Petrolina para disputar um mandato na Câmara dos Deputados.
 
Com a decisão, o cargo de prefeito ficou com Osório Siqueira, presidente da Câmara Municipal e adversário de Lóssio. Ao assumir o cargo, o socialista afirmou que daria continuidade às ações do prefeito licenciado e que torcia para a melhora de sua saúde.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.