20 de maio de 2014 às 09:52h

Em coletiva, advogados dos vereadores de Caruaru dizem que escutas foram feitas sem autorização da justiça

1e688818fad446b8091109b747547014
 
Uma novidade, apresentada na coletiva de hoje com os advogados que defendem os vereadores de Caruaru envolvidos na Operação Ponto Final, é a afirmação de que as escutas nas quais os vereadores foram flagrados, supostamente negociando propina, teriam sido feitas sem autorização judicial.
 
Segundo eles, os policiais receberam denúncias anônimas e começaram a grampear os telefones. Somente depois de 48h é que teriam ido fazer a solicitação para as escutas.
 
Se for confirmado, parte do processo pode ser prejudicado, já que, sem autorização da justiça, não é permitido gravar conversas particulares de ninguém, e muito menos utiliza-las em processo.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.