10 de novembro de 2014 às 07:00h

Em entrevista a jornal, Aécio diz que não houve acordo para blindar PT e PSDB das denúncias da Petrobras

aecio-neves-george-gianni-psdb-3-300x199
 
O senador Aécio Neves, derrotado na eleição presidencial, afirmou que não houve acordo e que vai até as últimas consequências na apuração do chamado Petrolão. Ele diz que o deputado do PSDB que pensou nisso será “corrigido”. A entrevista foi dada ao jornal O Globo e publicada no fim de semana. Veja o trecho:
 
“Quero dizer de forma peremptória e definitiva: vamos às últimas consequências nessas investigações, não importa a quem atinjam. Até pelo nível de insegurança de setores da base do governo, o que pode estar vindo por aí é algo muito, mas muito grave. Não depende mais apenas da ação do Congresso ou da Justiça no país, porque essa organização criminosa que, segundo a PF, se institucionalizou na Petrobras, tem ramificações fora do Brasil. E outros países estão agindo. Nosso papel é não permitir, do ponto de vista político, tentativas de limitação das investigações. Se alguém pensou em algum acordo, e no caso do deputado Carlos Sampaio ele foi ingenuamente levado a isso, será corrigido.”
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.