23 de setembro de 2014 às 07:59h

Em guia, Renata Campos pede voto para Paulo Câmara e diz que Eduardo permanecerá vivo

O guia eleitoral do candidato ao governo de Pernambuco Paulo Câmara (PSB) trouxe nesta segunda-feira (22) uma presença forte politicamente no Estado, apesar de atua nos bastidores. A ex-primeira-dama de Pernambuco Renata Campos gravou uma mensagem em que exalta as qualidades administrativas do postulante socialista. Na gravação, ela destacou a capacidade dele em reunir o grupo e o chamou de líder.
 
Segundo Renata, Eduardo sabia escolher bem os quadros no governo. “Ele [Eduardo] viu em Paulo para esse novo momento em Pernambuco que era o mais preparado. O que tinha a capacidade de juntar mais, que conhecia bem a máquina”, disse.
 
Esta é a primeira exibição de Renata no guia eleitoral. A mensagem foi gravada apenas por Renata e não seguiu o modelo de conversas face a face com Câmara que o PSB tem levado ao guia desde o início da eleição.
 
Militante do partido, o desejo de gravar a mensagem partiu da própria Renata. Em determinado trecho do vídeo, a ex-primeira dama se emocionou ao relembrar da trajetória ao lado do marido.
 
Renata era casada com Eduardo Campos desde 1991 e o casal possui cinco filhos: Maria Eduarda, João, Pedro, José e Miguel, o caçula, nascido em janeiro deste ano.
 
Namorados desde a adolescência, a ex-primeira-dama era uma importante conselheira do ex-governador durante toda a vida e chegou a ser consultada pelo PSB para disputar a vice-presidência após a morte do marido.
 
Um dia após o enterro de Eduardo, Renata Campos reuniu o PSB pernambucano no próprio aniversário, há um mês, para pedir empenho dos correligionários na campanha do afilhado político.
 
No último sábado (13), Renata divulgou uma carta em homenagem ao marido. “Está sendo belo, Dudu, ver que você se tornou aquilo que acreditava. Você se transformou em seus ideais. Sua vontade de melhorar a vida das pessoas, sua luta e sua resistência se transformaram em coragem pra mudar. O homem se tornou ideia”, dizia o texto.
 

 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.