8 de setembro de 2014 às 06:00h

Em nota, Paulo Câmara chama de “sordidez” a inclusão do nome de Eduardo no caso da Petrobras

.

.


 
Paulo Câmara reagiu, com uma nota, à inclusão do nome de Eduardo Campos na lista de políticos que recebiam propina da Petrobras, apresentada durante o depoimento de um ex-funcionário da estatal à polícia. Paulo Roberto Costa afirmou, segundo reportagem da revista Veja, que a base aliada do PT era beneficiada com quantias referentes aos contratos fechados pela empresa. Três governadores foram delatados por ele, entre os quais estaria o ex-governador, morto em acidente aéreo no mês passado.
 
Acompanhe na íntegra a Nota do candidato Paulo Câmara:
 
Poucas coisas são tão sórdidas quanto atacar uma pessoa que não pode se defender. A inclusão do nome de Eduardo Campos nos desmandos promovidos pelo PT na gestão da Petrobras é um exemplo dessa sordidez. Eduardo não está aqui para rebater essa agressão. Mas nós – sua família, seus amigos, o povo de Pernambuco – vamos defendê-lo.
 
Eduardo, ainda em 2013, defendeu publicamente uma completa, ampla e transparente investigação das denúncias de corrupção dentro da Petrobras – inclusive sobre as obras da Refinaria Abreu e Lima. Eduardo não tinha nada a temer. Pois, quem não deve, não teme.
 
Eduardo orientou as bancadas do PSB na Câmara dos Deputados e no Senado Federal a votar a favor da instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito. Sua coragem nos inspira. Esse é um dos seus legados. Como afirmou a Direção Nacional do PSB, não há acusação digna de honesta consideração. Há, apenas, malícia.
 
Não vamos aceitar de forma alguma que os nossos adversários – em Pernambuco e em nível nacional – tentem ferir a honra de Eduardo. Qualquer iniciativa nesse sentido será combatida por todos os meios legais.
 
Vamos mostrar aos pernambucanos quem realmente está do lado dos que mais precisam e quem fez a sua história de vida atuando contra os interesses dos trabalhadores. Na área empresarial e no Congresso Nacional.
 
A nossa vitória e a de Marina Silva serão dedicadas à memória de Eduardo. E, a partir de janeiro de 2015, a Petrobras começará escrever uma nova página da sua história. A empresa voltará a ocupar noticiário sobre o desenvolvimento econômico e social do Brasil e não mais as páginas dos escândalos e da má administração.
 
Paulo Câmara
Candidato a Governador pela Frente Popular de Pernambuco
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.