18 de novembro de 2014 às 07:59h

Em nota, prefeitura diz que vai recorrer da decisão do Iphan de proibir o uso da Estação Ferroviária

Confira a nota
 
Após a surpresa com a decisão do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional- IPHAN, de a Gestão Municipal não mais poder utilizar a Estação Ferroviária como Polo Cultural, a Prefeitura vai lutar para reverter a decisão. Segundo a recomendação, o espaço só será liberado para os festejos juninos. Durante o resto do ano, a estação ficará ociosa, em prejuízo das atividades culturais da cidade.
 
A Fundação de Cultura vê na decisão uma perda para a cultura de Caruaru. “É realmente uma pena, mas vamos cumprir. Desde o início da gestão vínhamos batalhando pelo fortalecimento da classe artística, pela manutenção e disseminação da cultura popular. Realizamos conferências; apoiamos a criação de um conselho específico; aderimos ao Sistema Nacional de Cultura. E, o melhor, demos vida a um local que estava abandonado”, lamentou o diretor de Ações Culturais Djair Vasconcelos.
 
A pretensão da Prefeitura, porém, é de tornar a Estação Ferroviária um local exclusivo para a manutenção e disseminação cultural. Desde o ano passado, vinham sendo realizadas apresentações culturais, shows, esquetes teatrais. No local, passaram a funcionar a Casa dos Artistas e o Teatro de Mamulengos Mamu Sebá.
 
Até o fim deste ano, seriam inaugurados a Casa do Pífano, a Casa do Boi Tira-Teima e a sede da Academia Caruaruense da Literatura de Cordel. A ideia era fazer com que fossem realizadas apresentações, oficinas gratuitas e outros eventos culturais.
 
A Fundação de Cultura já está em contato com o IPHAN para discutir um novo formato de utilização da Estação Ferroviária e o objetivo é conseguir a cessão definitiva do espaço. A orientação do prefeito José Queiroz é para que se percorra todas as instâncias a fim de recuperar um local tradicional da promoção artística em Caruaru: “não podemos abrir mão da cultura, dos empregos, do lazer e da tradição artística que nos é tão cara”, disparou o Chefe do Executivo.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.