8 de novembro de 2013 às 08:19h

Em pedido de ajuda ao Palácio, Armando Souto diz que não se faz política olhando pelo retrovisor

AMF_9744(1)
 
A convite do secretário de Articulação Social e Regional, Aluísio Lessa (PSB), o prefeito eleito de Água Preta – na Mata Sul de Pernambuco -, Armando Souto (PDT), foi nesta quinta-feira (7) à sede provisória do executivo estadual, no Centro de Convenções, conversar com secretários estaduais. A intenção de Lessa é criar uma ponte entre o gestor e o governador Eduardo Campos (PSB).
 
Nas eleições suplementares do município, o secretário de Articulação apoiou a candidatura de Armando quando a base governista incentivava o socialista Eduardo Coutinho (PSB).
 
O encontro reuniu também os secretários de governo, Milton Coelho, e o chefe de gabinete do governador, Renato Thibout. Na ocasião, Armando pontuou as demandas mais urgentes do município. “Tenho o desafio de construir uma escola com 30 salas em 90 dias, preciso furar três poços para suprir a carência de vários bairros. Daqui pra frente, preciso da ajuda de todos”, afirmou.
 
Classificando a cidade de Água Preta como “quebrada” e “morta”, o novo prefeito pontuou que política não se faz olhando pelo retrovisor, mas mirando o futuro. “A disputa e a pressão vieram deles (do governo). Estou aqui porque o povo quis. Se querem ajudar, eu quero ajuda e pode ser do governador, da presidente Dilma ou dos deputados”, destacou.
 
Quando Eduardo Campos retornar de viagem será marcada nova conversa para acertar a cooperação do Estado com o município da Mata Sul. O novo prefeito assume o posto em 1º de dezembro.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.