28 de março de 2014 às 07:52h

Em programa do PSB, Eduardo e Marina se classificam como “filhos da esperança”

programa-eduardo-e-marina-580x433
 
Num tom coloquial, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e a ex-senadora Marina Silva, da Rede, aparecem sentados um em frente ao outro no programa de governo do PSB-Rede, que foi ao ar nesta quinta-feira (27). Em clima de diálogo com o público, a dupla se intitulou “filhos da esperança e companheiros de luta e de paz”.
 
Na inserção de dez minutos, Marina relembra a trajetória política dela e de Eduardo. Miguel Arraes e Chico Mendes são citados para respaldar o legado.
 

 
“Você [Eduardo] lutando pela reforma agrária, no Nordeste, com seu avô Miguel Arraes. Eu, no Acre, lutando com Chico Mendes. O que nos aproximou foi o desejo de compartilhar este legado. Vamos juntar mais gente”, defendeu Marina.
 
As denúncias contra a Petrobras não ficaram de fora do material. No discurso, Eduardo afirma que Dilma está destruindo a empresa. “Eu vi, em 2010, a presidente Dilma defender a Petrobras, dizer que o adversário dela ia vender a Petrobras. Ela deixou o valor da empresa cair pela metade e a dívida aumentar quatro vezes”.
 
A política econômica do governo da presidente Dilma também foi alvo das críticas do governador. No programa, ele mencionou que a economia melhorou desde a gestão do presidente Itamar Franco e teve avanços durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso. Na análise de Campos, “Lula cuidou de preservar os avanços” conquistados nas gestões anteriores e conseguiu fortalecer a economia.
 
No entanto, em 2011, com a presença de Dilma, as coisas começaram a desandar.
 
Ao fim do programa, Marina e Eduardo dialogaram com a câmera e fizeram uma espécie de convite ao espectador para fazer parte do projeto de governo.
 
“Se o projeto for vitorioso, só tem uma pessoa para dar o crédito pela vitória. Você, cidadão brasileiro, que é capaz de fazer a mudança, que acredita e sabe o que é melhor para o Brasil”, disse Marina.
 
“Nós precisamos de você na política, ajudando a limpar o Brasil e a fazer um Brasil para todos os brasileiros”, acrescentou Eduardo, convocando os cidadãos a “entrarem em campo para fazer o Brasil campeão”.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.