6 de dezembro de 2013 às 07:14h

Em ritmo de campanha. Fernando Bezerra Coelho detalha Canal do Sertão e é aplaudido em Araripina

fbc_ararpina_1
 
O ex-ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, participou na tarde desta quinta-feira (05/12) de uma reunião com o consórcio de Prefeituras do Araripe. O encontro aconteceu no Centro Tecnológico de Araripina, no Sertão do Estado, e teve como principal tema das discussões o Canal do Sertão.
 
O ex-ministro explicou a prefeitos, gestores e representantes do movimento social na região que as mudanças realizadas no projeto original, concebido há mais de 20 anos, foram realizadas após estudos de viabilidade técnica e econômica encomendados pela Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf). O mais recente destes estudos foi concluído em 2008, três anos antes de Fernando Bezerra assumir a pasta da Integração Nacional. A obra, porém, só começou a ser viabilizada em 2011, quando foi incluída por Bezerra Coelho no PAC 2, no âmbito do programa Mais Irrigação.
 
“Esta questão não pode ser politizada. Temos que ter a responsabilidade de promover o debate técnico, com base em estudos e pesquisas que demonstram o impacto financeiro e ambiental, pois estamos falando em retirar água do rio São Francisco”, afirmou o ex-ministro. Hoje o atual presidente da Codevasf, Elmo Vaz, reforçou todos os argumentos destacados por Fernando Bezerra, esclarecendo de maneira definitiva as readequações na obra, propostas ainda na década passada. “Há um grande desnível geométrico, o que acarretaria num bombeamento de aproximadamente 230 metros a partir do lado de Sobradinho para o centro da área, e que, devido aos custos de energia elétrica, inviabilizaria o uso desta água para irrigação. A altura máxima viável para irrigação gira em torno de 110m”, afirmou Vaz em matéria publicada pelo jornal Folha de Pernambuco.
 
Durante a reunião, que durou quase três horas, o ex-ministro ouviu atentamente os representantes do Araripe e propôs uma agenda positiva. “Precisamos aprofundar os estudos para viabilizarmos a irrigação em terras mais altas, como Araripina, Ouricuri, Bodocó, Ipubi e Trindade. Porque através do Canal do Sertão e Entremontes, garantidos pela Codevasf, temos assegurada uma vazão 75m³ por segundo, que são suficientes para irrigar uma área de 112,5 mil hectares. Hoje temos identificados 71,5 mil hectares para esta ação, restando 40,9 mil hectares para serem indicados”, destacou o ex-ministro. Ele sugeriu a criação de um grupo de trabalho envolvendo os governos do Estado e Federal e os municípios para acompanhar os estudos que já estão sendo contratados pela Codevasf. A proposta foi aceita pelas lideranças da região e a primeira reunião deve acontecer na próxima semana em Araripina.
 
Ao final, Fernando Bezerra chamou a atenção para a necessidade de cobrar a retirada do papel do projeto de Entremontes. “Temos que deixar de lado as desavenças e trabalhar pelo bem comum. Precisamos cobrar para que seja lançado o mais rapidamente o edital do projeto de Entremontes, que vai beneficiar milhares de pernambucanos”, disse o ex-ministro que deixou o auditório bastante aplaudido por quase 200 pessoas que compareceram ao debate.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.