3 de janeiro de 2014 às 07:07h

FBC rebate vice-presidente da Câmara, que o responsabilizou por problemas nas ações de combate às enchentes

FBC
 
Veja a resposta
 
O deputado André Vargas comete um grave erro ao tentar politizar um tema tão importante quanto a prevenção e as ações durante calamidades. Talvez ele não saiba, mas os investimentos do PAC têm os recursos alocados pelo Ministério do Planejamento, cabendo ao Ministério da Integração o acompanhamento e fiscalização das obras executadas pelo estados contemplados.
 
Durante o período em que estivemos à frente do Ministério da Integração Nacional desenvolvemos, por exemplo, o cartão de pagamento da defesa civil. Modelo premiado pela ONU e Controladoria Geral da União. Esta ferramenta possibilita acesso mais rápido aos recursos para ações emergenciais.
 
O Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) foi modernizado e contemplado com concurso público. Foi criado ainda um inédito Plano Nacional de Gestão de Riscos e Desastres, envolvendo ações diretas de 7 ministérios, com prioridade nas ações de prevenção, garantindo recursos da ordem de R$ 18,8 bilhões para obras preventivas, fortalecimento do sistema nacional de defesa civil.
 
Quanto às ações em Pernambuco, vale lembrar que em 2010 o estado sofreu a maior enchente de sua história, com registros de mortes e milhares de desabrigados.
 
O então presidente Lula foi ao local e comprometeu-se com a liberação de R$ 300 milhões para a reconstrução das 14 cidades devastadas.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.