4 de Maio de 2015 às 16:52h

Governo acredita que mais diálogo fará Congresso aprovar ajuste fiscal

Dilma-Aumento-Conta-de-Luz
 
Uma reunião entre a presidente Dilma Rousseff, ministros e o vice-presidente da República, Michel Temer, realizada nesta segunda-feira (04), tratou sobre as medidas de ajuste fiscal que alteram regras de concessão de benefícios trabalhistas e previdenciários propostas pelo governo e que estão em discussão no Congresso Nacional.
 
Segundo o ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, nesta semana o governo está aberto à sugestão dos parlamentares e vai intensificar o diálogo com o Congresso Nacional para assegurar a aprovação do ajuste. “Quando o governo se abre ao diálogo, tem que acatar sugestões. Foi mandada uma proposta, o governo tem avaliado as propostas feitas em cima da original e, naquilo que não descaracteriza os fundamentos do ajuste, o governo está aberto e tem dialogado”, disse.
 
Silva falou ainda sobre a primeira vez, em quase 30 anos, que o presidente da República não fez o tradicional discurso do 1° de maio, Dia do Trabalho, no rádio e TV. Dilma optou por gravar o discurso e divulgar através das redes sociais – que atinge apenas 50% dos brasileiros – para evitar outro panelaço. “É uma experiência nova para o governo, para os internautas, e o balanço foi positivo. Vamos intensificar o diálogo não só da presidenta, mas de outros integrantes do governo”, disse.
 
Ainda hoje Michel Temer fará uma reunião com líderes de partidos da base aliada do governo e deve tratar das negociações para a aprovação da Medida Provisória 664, que altera normas de pensão, e da Medida Provisória 665, que altera as regras do seguro-desemprego, seguro-defeso e abono salarial.
 
Estiveram também na reunião de coordenação política os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Nelson Barbosa, da Casa Civil, Aloizio Mercadante; da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo; da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha; das Cidades, Gilberto Kassab; da Defesa, Jaques Wagner; da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto; e das Comunicações, Ricardo Berzoini.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.