10 de outubro de 2014 às 14:21h

Gravações teriam derrubado Jorge Quintino da prefeitura de Caruaru; ouça

Do Blog do Wagner Gil
 
A exoneração do diretor de Feiras e Mercados, Jorge Quintino, divulgada nesta quinta-feira (9), pode ter sido causada pelas supostas declarações que ele deu e estão circulando na cidade, através de uma gravação bombástica. Em um trecho de pouco mais de três minutos, o ex-gestor cita a empresa Cunha Lanfermann como responsável por um esquema dentro da Prefeitura de Caruaru. Segundo ele, na gravação, em muitos casos, operações são realizadas para burlar o processo licitatório e levar vantagens aos diretores.
 
Jorge Quintino foi diretor de Meio Ambiente na gestão passada de José Queiroz (PDT) e saiu por declarações polêmicas. Depois, retornou ao governo e ficou sem espaço de destaque até ser indicado para o Departamento de Feiras e Mercados. Nas gravações a que o Blog do Wagner Gil teve acesso, Quintino ainda acusa o secretário Paulo Cassundé (Serviços Públicos) de fazer esquema na reforma do Matadouro.
 
“Todos os grandes empreendimentos da prefeitura estão sendo feitos por essa empresa: Cunha Lanfermann. Essa empresa tinha um gerente chamado Paulo Cassundé. Trabalhou nela há um ano. Ele era um dos gerentes”, afirma o ex-diretor. “A Cunha Lanfermann está participando da transição do aterro sanitário e do Matadouro”, completou Jorge.
 
Ele afirmou ainda que a interdição do Matadouro foi proposital, para a reforma ser realizada sem licitação, já que entraria no regime de urgência. “O problema do Matadouro… Doutor Francisco ligou para mim e disse: ‘Jorge, sou seu amigo, mas estou com um problema sério e vou ter que interditar’. Eu liguei para o secretário (Paulo Cassundé) e disse: ‘Secretário, a gente vai ter um problema sério com o Matadouro’. Ele disse: ‘Não, Jorge, deixa para lá’. Com a questão do Matadouro e tudo, o que aconteceu? Não precisou de licitação para a obra que era urgente”. O ex-diretor ainda faz ataques a empresas e pessoas.
 
Confira o áudio clicando aqui
 


Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.