17 de dezembro de 2014 às 08:13h

Grupo de João Lyra também não gostou do secretariado de Paulo Câmara

Foto: Igo Bione/JC Imagem

Foto: Igo Bione/JC Imagem


 
Do Blog de Jamildo
 
O clima final depois do anúncio do secretariado de Paulo Câmara podia ser interpretado como revelador do momento do partido no Estado. A maioria vazou, um ou outro demonstrava alguma felicidade pela indicação. O próprio Paulo Câmara demonstrava algum nervosismo em sua fala, depois da nota crítica do senador eleito Fernando Bezerra Coelho, publicada pelo Blog de Jamildo.
 
Nos bastidores socialistas, a avaliação de aliados de João Lyra não era menos crítica, revelando mais uma vez a divisão.
 
“Trata-se de um governo de prepostos. Nunca se viu um governador abrir mão de indicar o secretário da Fazenda, mas Geraldo Júlio colocou um preposto lá. Danilo Cabral tem dois prepostos (Nilton Mota na Agricultura e Anchieta Patriota, na Casa Civil). E o próprio governador aceitou que o ex-secretário da Saúde colocasse um preposto seu na Saúde”, diz um graduado auxiliar do governo.
 
O próprio governador não ficou lá muito satisfeito. João Lyra havia demitido o ex-procurador Thiago Norões, no mês passado, mas Paulo Câmara acabou por reabilita-lo e promovê-lo no cargo de secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado. Consta que Lyra teria estranhado a indicação, depois de ter informado pessoalmente à Paulo Câmara os motivos do afastamento. “Não foi uma afronta ao governador João Lyra, foi, na verdade, um erro estratégico”, avalia o socialista.
 


Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.