6 de novembro de 2017 às 09:57h

Investigações da Lava Jato contra governadores são arquivadas no STJ

Das 11 investigações contra governadores, feitas pela Operação Lava Jato, cinco já foram arquivadas. Os casos são mantidos em segredo de Justiça e os arquivamentos foram feitos a pedido da Procuradoria-Geral da República. Os primeiros casos chegaram ao Superior Tribunal de Justiça em 2015 e tinham como alvo os governadores do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), e do Acre, Tião Viana (PT). A expectativa é que a PGR peça arquivamento de mais um caso.
 
Foram arquivados ainda casos envolvendo os governadores do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB), duas apurações sobre o mineiro Fernando Pimentel (PT) e a citação ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). Todas investigações com base na Lava Jato.
 
Nos casos de Pezão e Viana, a delação do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa não foi suficiente para convencer os investigadores. Sobre Pezão, Costa afirmou ter arrecadado R$ 30 milhões em caixa 2 da campanha de 2010 do ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB).
 
A Procuradoria pediu o arquivamento do caso de Cabral, porém o ministro-relator, Luís Felipe Salomão, aguarda desdobramentos de outras investigações, com base em delação da Odebrecht, para avaliar se aceita ou não o pedido.
 
No caso de Dino, por exemplo, a Procuradoria não viu elementos suficientes para sustentar uma acusação de um executivo da Odebrecht que afirmou ter recebido pedido de R$ 200 mil do governador para defender, na Câmara, um projeto de lei que beneficiaria a empreiteira. O arquivamento foi autorizado pelo ministro-relator do caso, Félix Fischer, em agosto.
 
Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a investigação relacionada ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), ainda não chegou à Corte. E estão em andamento as investigações sobre os governadores do Tocantins, Marcelo Miranda (PMDB); de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD); de Goiás, Marconi Perillo (PSDB); do Paraná, Beto Richa (PSDB); e mais um caso sobre Pezão.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.