13 de outubro de 2014 às 11:53h

Jorge Quintino se pronuncia em nota e afirma que áudio foi manipulado antes de se tornar público. Veja

Nota de Esclarecimento
 
Gostaria de me pronunciar hoje, ao invés de tomar a palavra serei ouvido por ela.
 
Tudo começa com uma simples troca de informação. Mas, por descuido ou pura malícia, as pessoas envolvem nomes de terceiros, acrescentam detalhes baseados em especulação. A teia discursiva da fofoca é sedutora e, ao mesmo tempo, faz com que o ser humano, tire conclusões baseadas em deduções e tragicamente terminam relacionamentos sadios com amigos verdadeiros, casamentos, parcerias e sociedades. O fato ocorrido em Caruaru nos últimos dias é de altíssima relevância para refletirmos até onde isso pode levar.
Foi construída uma gravação com diversos cortes, montagens e de forma ilícita para desconstruir minha imagem e de pessoas ilibadas da sociedade caruaruense.
 
Fui durante dois anos carroceiro – fretista, e por vários anos sulanqueiro e através da sulanca tive minha ascensão intelectual e econômica. Chegando a ter sido com muito orgulho Diretor de Feiras e Mercados.
 
Uma coisa fica clara e límpida com a lição que tiramos de tudo que ocorrera : Deve ser prioridade absoluta dos órgãos públicos e da sociedade civil organizada a transferência da feira da sulanca de Caruaru. Estamos diante do futuro de dezenas de milhares de pessoas. Não se brinca com isso. Essa deve ser a pauta de dialogo de toda a cidade. Pena que para se tornar pauta de prioridade absoluta, teve que ocorrer esse incidente nefasto. Porém, para o bem da cidade, que assim seja.
 
Saio da vida pública como gestor para ser cidadão comum de Caruaru.
 
Fico na torcida pelo nosso prefeito José Queiroz de Lima, que tem um imenso desafio a ser alcançado – Uma transferência justa e humana. Tenho convicção dos propósitos do poder público municipal.
 
Jorge Quintino
 
Veja as outras reportagens aqui
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.