3 de setembro de 2015 às 09:15h

Júri condena réus por morte de torcedor no Estádio do Arruda

Torcedor morre atingido por privada em PE
 
Na noite dessa quarta-feira (02), o júri popular decidiu pela condenação dos três réus acusados do homicídio de Paulo Ricardo Gomes da Silva e de três tentativas de homicídio no Estádio do Arruda, ocorridos em 2 de maio de 2014. Os pedidos do Ministério Público foram atendidos pelo conselho de sentença, formado por sete jurados. O juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri da Capital, Jorge Luiz dos Santos Henriques, leu a sentença por volta das 22h30. As partes têm cinco dias para recorrer.
 
Everton Filipe Santiago de Santana foi condenado a 28 anos e 9 meses de reclusão, Luiz Cabral de Araújo Neto a 25 anos, 7 meses e 15 dias de reclusão e Waldir Pessoa Firmo Júnior a 22 anos e 6 meses de reclusão. Os acusados foram condenados pelos de homicídio duplamente qualificado (motivo fútil e sem chance de defesa para a vítima) e por três tentativas de homicídio. Todas as penas deverão ser cumpridas inicialmente em regime fechado. Ao término do julgamento, os três réus retornaram ao Centro de Triagem de Abreu e Lima (Cotel), onde já se encontravam presos.
 
Relembre o caso
 
Na noite do dia 2 de maio de 2014, no Estádio do Arruda, os réus Luiz Cabral de Araújo Neto e Waldir Pessoa Firmo Júnior, contando com a participação direta de Everton Filipe Santiago Santana, teriam arremessado dois vasos sanitários do alto da arquibancada, que atingiram, na área externa do estádio, Paulo Ricardo Gomes da Silva. O rapaz, torcedor do Sport, morreu na hora.
 
O lançamento dos objetos também provocou lesões em Vanderson Wilderlan Gomes Alves, José Adrian Ferreira de Lima e Tarkini Kauã Gonçalves de Araújo. O motivo dos crimes seria a rivalidade entre as torcidas organizadas do Santa Cruz e do Sport, que acompanhavam o jogo entre Santa Cruz e Paraná.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.