7 de novembro de 2016 às 10:22h

Justiça afasta prefeito de Itamaracá, secretários e o procurador do município

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) afastou o prefeito de Itamaracá, Paulo Batista de Andrade; o procurador-geral do município, Luiz Alberto Farias Gomes; e os secretários de Infraestrutura, João Batista de Andrade; e Administração, Nélson Lopes de Albuquerque.
 
A decisão foi em resposta a solicitação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e acarretou na suspensão do exercício das funções públicas e proibição de acesso dos investigados às dependências administrativas da Prefeitura de Itamaracá, devendo obedecer, ainda, ao distanciamento mínimo de 100 metros do imóvel, até que se encerrem as investigações em curso, Operação Itakatu.
 
Após o cumprimento dos mandados de busca e apreensão e da oitiva no Depatri dos investigados, bem como dos sócios das empresas AP Construções, HA Cunha Ambiental e V2 Ambiental, foi constatado que as duas primeiras empresas, de fato, são de fachada e foram criadas exclusivamente para desviarem recursos públicos no município de Itamaracá.
 
Foi constatado ainda que a empresa V2 Ambiental, embora exista de fato e de direito, possuía planilhas com o nome do prefeito de Itamaracá e com a menção de valores a ele destinados, assim como porcentagens pela possível venda de notas fiscais. Uma quarta empresa apontada nos documentos, OGA Construtora, não foi localizada fisicamente, confirmando a sua existência meramente formal.
 
“A continuidade da investigação está correndo bem, principalmente por causa do trabalho em conjunto das instituições”, destacou o coordenado do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), procurador de Justiça Ricardo Lapenda.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.