26 de novembro de 2013 às 17:33h

Justiça determina que secretário de saúde de PE seja afastado do cargo

1459921_626012240794103_1508963361_n
 
Do Blog de Jamildo
 
O juiz da 1º Vara Federal, Roberto Wanderley, decidiu, nessa segunda-feira (25), pelo afastamento imediato do secretário de Saúde de Pernambuco, Antônio Figueira, em resposta a uma ação popular impetrada pelos médicos Liliane Peritore e Antônio Jordão (ex-presidente do Sindicato dos Médicos de Pernambuco). No processo, os profissionais alegaram que Figueira não poderia assumir a função, já que presidiu o instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip) – que possui diversos contratos com o Governo do Estado -, mantendo até hoje “íntima relação” com a entidade.
 
Além de decidir pelo afastamento, o magistrado determinou a reabertura do Centro de Transplantes de Medula Óssea (CTMO) do Hemope, fechado desde o dia 1º de dezembro de 2011, quando o governo Eduardo Campos (PSB) decidiu transferir para um hospital do setor privado pacientes sub a tutela do Estado que precisavam do transplante.
 
“O fato de o secretário nomeado dispor de laços com a Instituição em relação a qual tem o vínculo temporariamente suspenso, mesmo em tese, retira toda a isenção na escolha dos hospitais e serviços a serem contratados/conveniados por parte da Secretaria de Estado da Saúde, por ele ora comandada”, destacou o juiz, na setença. Ainda no texto, o juiz apontou “ilegalidade” na nomeação.
 
Figueira comandou o Imip de 2005 até a véspera da posse como secretário. Ele é citado como uma das opções de Eduardo Campos para concorrer ao Governo de Pernambuco no próximo ano.
 
Confira a decisão
 

 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.