22 de novembro de 2013 às 06:59h

Lula critica prisão de petistas determinada pelo STF

6e3eb323b86d0ebd9539c52acd8ad829
 
O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva fez, na noite desta quinta-feira, 21, uma crítica veemente ao processo de condenação e prisão pelo Supremo Tribunal Federal (STF) de políticos do PT no mensalão e ainda aos adversários do partido. “Parece que a lei só vale para o PT; a lei é para todos e isso vale para nós para eles”, disse o presidente em encontro de prefeitos e vices petistas, em Santo André (SP).
 
“Hoje nós temos companheiros condenados. Temos sentença dada. A pena de cada companheiro está determinada já, mas o que não pode é tentar tripudiar em cima da condenação das pessoas. (É preciso) respeitar os históricos das pessoas e a lei”, completou.
 
Sem citar a Ação Penal 470, ou mesmo o nome do presidente do STF Joaquim Barbosa, Lula afirmou querer que “a decisão seja cumprida tal como ela foi determinada e não pela vontade de alguém”. Ele avaliou ainda que por conta do sucesso do partido há um “ódio disseminado” contra o PT.
 
O ex-presidente repediu a máxima de que “todo e qualquer cidadão é inocente até que se prove o contrário” e afirmou que na hora que for provado algum crime e que não haja mais recursos, “que puna qualquer que seja. Isso vale para o meu parente e para o adversário”, ratificou.
 
Segundo Lula, a resposta do PT às prisões de membros do partido, como o deputado federal José Genoino (PT-SP) e o ex-ministro José Dirceu, “é garantir o segundo mandato da companheira Dilma Rousseff”, disse. “Assim como foi comigo, Dilma vai ser melhor no segundo mandato dela”, avaliou.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.