3 de dezembro de 2013 às 06:48h

No encontro realizado em Gravatá, prefeitos queriam dinheiro. Ministra trouxe explicações

Explicações ao invés de dinheiro na mala

Explicações ao invés de dinheiro na mala

No Encontro Estadual com Prefeitos e Prefeitas de Pernambuco, realizado nesta segunda-feira (02), a ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, responsável pela relação da Presidência da República com estados e municípios, disse que foi preciso usar parte da arrecadação para manter empregos pelo Brasil.
 
A ministra Ideli destacou na abertura do Encontro de Pernambuco a preocupação do governo federal com a arrecadação municipal. Ela lembrou que a presidenta Dilma adotou políticas de desoneração tributária em vários setores, para contornar a crise econômica, o que teve reflexo na arrecadação.
 
“Mas não foram só os municípios que sentiram essa redução, os estados e a União também. Mas tudo isso foi feito para alcançar o resultado positivo que tivemos na manutenção do emprego. Foi um sacrifício, mas era preciso enfrentar isso para salvar o país”, afirmou ela. A ministra lembrou, no entanto, que o governo federal trabalhou em diversas frentes para socorrer os municípios. “No caso do Nordeste, uma das piores secas afetou a região, e a presidenta Dilma mandou entregar caminhões-pipa. Ainda foi autorizada a liberação de R$ 3 bilhões de auxílio aos municípios, sem nenhuma vinculação. Pernambuco ficou com a fatia de R$ 73,8 milhões. Todos os investimentos já feitos, incluindo Mais Médicos e Minha Casa, Minha Vida, representam algo em torno de 3% do FPM diretamente para os municípios, garantiu.
 
Não convenceu muito. Os prefeitos esperavam o anúncio de alguma nova verba ou, no mínimo, um reajuste direto no FPM. A ministra passou as ideias que queria passar e o prefeitos voltaram para seus municípios com os cofres vazios.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.