19 de setembro de 2013 às 09:33h

No programa Além da Notícia, da Rádio Jornal, converso com o secretário Paulo Cassundé sobre os custos que a prefeitura vai ter com o empréstimo do BRT, acompanhe!

Secretário de Projetos Especiais

Secretário de Projetos Especiais


 
O vereador Marcelo Gomes (PSB) se mostrou disposto a realizar uma audiência pública, junto aos colegas da Câmara, para que todos os detalhes sobre o empréstimo para a instalação do BRT em Caruaru sejam discutidos. É o que deve ser feito: buscar orientação.
 
O financiamento tem causado polêmica por causa do valor. Alguns edis têm dúvidas sobre a capacidade de pagamento da Prefeitura.
 
Ontem, em conversa minha por telefone com o secretário responsável pela pasta de Projetos Especiais, Paulo Cassundé, ficou claro que o valor total do financiamento deve mesmo chegar próximo aos R$ 500 milhões, pagos pelo município em 20 anos. Significa que, além dos R$ 250 milhões tomados por empréstimo, com juros e taxa de administração, o município deve pagar outros R$ 250 milhões em cima desse valor.
 
Apesar do valor alto, o secretário diz que o município vai pagar um valor menor, já que as obras, grandiosas para o porte da economia da cidade, devem gerar retorno com o incremento do ISS e do ICMS. Segundo Cassundé, a administração pública vai ter um aumento próximo a 6% nos repasses, amortizando a dívida com mais facilidade.
 
O detalhe, ainda polêmico, é que a prefeitura terá uma carência de 34 meses, segundo o secretário. Tirando a fase de licitação e os trâmites normais de uma obra como essa, a dívida começa a ser paga, apenas, na próxima gestão. E a lei diz que um gestor não pode contrair dívidas para outro pagar.
 
Hoje eu vou conversar sobre isso, ao vivo, com o secretário Paulo Cassundé, no programa Além da Notícia, da Rádio Jornal, às 10h30. Não perca!
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.