16 de novembro de 2017 às 10:26h

Oposição cobra explicações e convida secretário para discutir ações na Mata Sul

Os deputados que fazem oposição ao governo Paulo Câmara solicitaram que o secretário de Planejamento do Estado, Márcio Stefani, seja convidado para discutir as ações das operações Reconstrução e Prontidão, voltadas às vítimas das enchentes na Zona da Mata Sul em 2010 e 2017.
 
Em discurso no plenário da ALEPE, o deputado Silvio Costa Filho (PRB), líder da Bancada de Oposição, afirmou que, diante das investigações da Controladoria Geral da União (CGU) e da Polícia Federal, que vieram à tona na última quinta-feira com a Operação Torrentes, é importante discutir o futuro das ações na Mata Sul. “Diante das denúncias e das investigações em curso, precisamos saber como ficarão as ações para as vítimas das enchentes na Mata Sul do Estado. O que falta ser feito? Qual o cronograma das ações? Que obras continuam paradas”, questionou o deputado, lembrando que desde 2015 a Oposição vem denunciando que muitas das promessas feitas em 2010 ainda não foram cumpridas, a exemplo dos habitacionais São Sebastião 1 e 2, em Maraial.
 
A deputada Priscila Krause (DEM) reforçou que é importante lembrar que há ações ainda de 2010 que não foram concluídas. “É preciso resgatar o que aconteceu e o que ainda falta acontecer. Infelizmente tivemos três gestores da Casa Militar, que continuam gestores, detidos por causa de suspeitas de irregularidades. E depois da prisão provisória eles vão voltar aos seus gabinetes? Essa é uma das perguntas que precisam ser respondidas”, reforçou.
 
De acordo com o deputado Edilson Silva (Psol), as pessoas que estão sendo investigadas precisam ter a presunção de inocência preservada, mas os indícios de irregularidades são fortíssimos. “As empresas que foram utilizadas para fornecer serviços e materiais para a Operação Reconstrução estão praticamente todas fechadas. Empresas que prestaram serviços com valores vultuosos. Nesta operação, a Polícia Federal afirma que o modus operandi de 2010 continua em 2017”, destacou.
 
O requerimento deve ser protocolado na comissão de Administração Pública convidando o secretário Márcio Stefani para detalhar o cronograma de ações da Operação Prontidão.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.