30 de junho de 2015 às 16:35h

Oposição diz que vai “continuar a mostrar o Pernambuco de Verdade”

Oposição ALEPE
 
Na manhã desta terça-feira (30), a Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (ALEPE) fez um balanço das ações deste primeiro semestre. De acordo com os parlamentares, o trabalho na Alepe tem valorizado o papel do Poder Legislativo, com debates permanentes sobre os temas de interesse do Estado.
 
“Nesta nova legislatura houve uma valorização maior do debate, do contraditório, e a ampliação do diálogo com a sociedade civil organizada. Isto fortalece o Poder Legislativo”, afirma o líder da Oposição, deputado Silvio Costa Filho (PTB).
 
O grupo acredita que a reformulação de uma oposição ao governo do Estado foi o principal fator de movimentação dos debates na Casa, embora leve em conta o trabalho feito pelos parlamentares da base do governo.
 
Segundo Costa Filho, os temas apresentados pela Oposição tiveram o propósito de apresentar “Pernambuco de Verdade”, e não o que o governo do Estado mostra nas propagandas oficiais. “Nosso papel é mostrar que, após oito anos e meio de gestão do PSB, Pernambuco passa hoje por um quadro de dificuldades, com os problemas se acentuando. É preciso uma agenda propositiva para o Estado”, aponta Costa Filho.
 
Vice-líder da oposição, a deputada estadual Teresa Leitão (PT) afirmou que o governo do Estado tem mostrado falta de habilidade para tratar as reivindicações das diversas categorias do Estado, citando professores e polícia civil.
 
“Nestes seis primeiros meses de gestão Paulo Câmara, professores e alunos foram vítimas de um acúmulo de erros na área da educação. Foi decepcionante ver que um governo que prometeu em quatro anos dobrar o salário dos trabalhadores em educação, não atendeu sequer ao Piso Salarial Nacional dos Professores e, na primeira rodada de negociações, já partiu para punições como o afastamento dos profissionais das Escolas de Referência”, exemplifica Teresa.
 
O grupo informou que durante o recesso da ALEPE continuarão em atividade, principalmente, com uma nova agenda de visitas e cobranças à gestão estadual.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.