30 de janeiro de 2014 às 07:50h

Para Armando, pequenas empresas precisam de apoio, principalmente no Agreste

armando
 
Na visão do senador Armando Monteiro, as micro e pequenas empresas representam uma imensa energia empreendedora no país, tendo um papel essencial no desenvolvimento da economia do Estado. A formalização das empresas e a definição de um tratamento tributário adequado, que possa ser suportado pelo pequeno empreendedor, são bandeiras defendidas pelo senador durante entrevistas a rádios de Caruaru.
 
Para Armando, além dos grandes projetos para Pernambuco, como a refinaria, planta automotiva da Fiat e unidades petroquímicas, que são fundamentais ao crescimento do Estado, é preciso cuidar dos pequenos negócios, que representam “um grande negócio” para o país porque respondem por grande parte dos empregos gerados. Na avaliação dele, a informalidade muitas vezes é uma resposta que o setor dá a uma inadequação na tributação.
 
O senador acredita ainda que o pequeno empreendedor, ”essa legião de pessoas que trabalham anonimamente”, é que constroem a grandeza de Pernambuco e do Brasil. “Se nós não cuidarmos dos pequenos negócios, que efetivamente geram empregos, não teremos uma economia saudável. Para citar apenas um caso, o que representa o Polo de Confecções (do Agreste de Pernambuco) senão o mais belo exemplo de que é possível empreender e estimular os pequenos negócios?”, questiona.
 
Não é de hoje que Armando Monteiro defende o fortalecimento das micro e pequenas empresas. Ele foi um dos líderes do movimento nacional que permitiu a criação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, com a implantação do Regime Simplificado de Tributação, o SIMPLES Nacional. O regime aliviou a carga tributária de todas as micro e pequenas empresas no Brasil e simplificou o processo de recolhimento dos tributos.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.