21 de Maio de 2015 às 08:53h

Paulo Câmara quer dinheiro do BID para combater a violência em PE

O governador Paulo Câmara foi recebido, nesta quarta-feira (20), em Brasília, pela representante do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no Brasil, Daniela Carrera Marquis. Acompanhado dos secretários Isaltino Nascimento (Desenvolvimento Social, Criança e Juventude), Márcio Stefanni (Fazenda) e Danilo Cabral (Planejamento e Gestão), e do Procurador do Estado, César Caúla, Paulo tratou de uma nova etapa dos contratos que o Governo de Pernambuco já tem firmado com o banco para projetos de parceria na área de políticas preventivas contra a violência e em favor da cultura da paz. “Vamos dar um enfoque muito grande no desenvolvimento de políticas sociais. Estamos apresentando isso ao banco dentro de um modelo novo que está sendo desenvolvido pelo secretário Isaltino e também a partir de outros que já têm sido feito pelo Estado como o programa Atitude. Esse projeto vem tratando de pessoas que se envolvem com o vício do crack e outras drogas”, afirmou o governador.
 
Em busca de parceiros para os projetos, Paulo Câmara destacou que trabalha na construção de uma “política para o futuro”, para os próximos 20 anos e que tenha um contexto social forte. “O Banco Interamericano é um parceiro que já vem ajudando Pernambuco e se interessou pelo tema. E, a partir de agora, vai nos ajudar, para, mais na frente, sermos parceiros também na locação de recursos que vai envolve não apenas o banco, mas uma série de outras entidades”.
 
Ainda na reunião, Isaltino Nascimento citou a importância dos Centros Comunitários da Paz, o Compaz, uma proposta com conceito inovador na área de segurança pública. “Com o Compaz, atuamos nas áreas de maior vulnerabilidade e violência. O objetivo também é construir um trabalho de vinculação e formação permanente da Polícia Amiga, dialogando com as comunidades para que a gente possa ter a construção da relação comunitária”, explicou Isaltino. O secretário também reforçou o pleito de expandir o Programa Atitude e o Governo Presente, ambos de apoio às medidas de segurança do Pacto pela Vida.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.