29 de abril de 2014 às 08:34h

Pedro Corrêa começa a trabalhar nesta terça-feira em Garanhuns

pedrocorrea
 
Depois de quatro meses preso, o ex-deputado federal Pedro Corrêa (PP/PE) inicia nesta terça-feira (29) nova jornada no cumprimento da pena de sete anos e dois meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. O ex-parlamentar, julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) pelo envolvimento no esquema do mensalão, deve começar a trabalhar como médico radiologista.
 
A autorização permite que o condenado trabalhe em um expediente de segunda a sexta, das 8h às 17h30. Aos sábados, das 8h ao meio-dia. Ele vai atuar em um clínica particular, de propriedade do prefeito de Garanhuns Izaías Régis (PTB).
 
Segundo o prefeito da cidade, o ex-parlamentar ganhará três salários mínimos, referente a R$ 2.172. Corrêa deve voltar à penitenciária de Canhotinho à noite.
 
Apesar de a defesa do político ter pedido ao juiz Luiz Rocha, da 1ª Vara de Execuções Penais, a liberação do uso de tornozeleira eletrônica pelo reeducando, a solicitação foi negada. O juiz alegou que não há exceções para réus que cumprem pena em regime semiaberto.
 
As outras duas solicitações da defesa do ex-parlamentar – liberação para cursar uma pós-graduação em Garanhuns e permissão para visitar a família – foram parcialmente aceitas. O juiz não permitiu que ele retomasse os estudos, mas Pedro Corrêa ganhou direito a saídas temporárias, até o limite de 35 dias por ano, e por até sete dias consecutivos.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.