16 de julho de 2014 às 08:57h

Pode acreditar… PE vai vender energia elétrica para o Brasil

Nesta terça-feira, o Complexo Industrial Portuário de Suape anunciou que deve ganhar uma termoelétrica a gás de R$ 3,5 bilhões.
 
A Unidade Termoelétrica Novo Tempo, do grupo gaúcho Bolognesi, adquiriu um terreno de 15,7 hectares por R$ 11,9 milhões no local para instalar uma planta com capacidade de geração de 1,2 mil megawatts.
 
A produção da Novo Tempo deve ser negociada junto às distribuidoras de energia elétrica em todo o País.
 
O início da construção da fábrica está condicionado ao resultado dos próximos leilões de energia, a serem realizados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Caso consiga vender a energia que pretende produzir em Suape, a UTE Novo Tempo começará as obras da termoelétrica para entrar em operação em 2019.
 
Quando iniciar suas atividades, a térmica deve gerar 120 empregos diretos de níveis técnico e superior, além de 160 empregos indiretos. Para gerar energia elétrica, a UTE Novo Tempo deverá receber 6 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia.
 
Com a vinda da nova termoelétrica, o Complexo de Suape passará a abrigar duas unidades de energia limpa.
 
A primeira a se instalar, no ano de 2005, foi a Termope, do grupo Neoenergia. A térmica mantém contratos de vendas de 455 megawatts (MW) médios com duas distribuidoras da mesma holding por 20 anos, que são a Celpe e a Coelba, na Bahia.
 
Controlado pelo empresário Ronaldo Bolognesi, o grupo atua nas áreas imobiliária, construção pesada, concessões e energia. No setor de energia, conta com um portfólio de mais de 1,2 mil megawatts em operação, entre Pequenas Centrais Termelétricas (PCHs) e usinas termoelétricas. Em 2012, o grupo assumiu o comando da Multiner, empresa de geração de energia elétrica, com 1.000 MW em seu portfólio, aportando R$ 637 milhões no empreendimento.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.