19 de fevereiro de 2014 às 07:28h

Pronatec já atende a 294 mil pernambucanos

.

.

O senador Armando Monteiro (PTB) destacou no plenário do Senado a importância do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e ao Emprego (Pronatec), instituído há pouco mais de dois anos pelo Governo Federal. Para ele, o Pronatec tem efeito direto sobre a produtividade das empresas e a melhora da competitividade da economia brasileira.
 
Armando frisou que apenas em Pernambuco, entre 2011 e 2013, foram registradas 294 mil matrículas no âmbito do programa. De acordo com o senador, o Pronatec tem importância estratégica para o Estado, especialmente por conta da demanda por profissionais qualificados, resultante do período de maior crescimento econômico e dos investimentos em curso.
 
As matrículas realizadas no Estado estão divididas em bolsa-formação, que abrange cursos técnicos para quem concluiu o ensino médio e também para estudantes matriculados no ensino médio; e cursos de formação inicial e continuada ou qualificação profissional. O senador citou ainda a parceria entre o Governo e o Sistema S na implementação do programa.
 
Segundo Armando, o Pronatec representa uma grande transformação, sobretudo na vida do estudante do ensino médio e do trabalhador, que terá a perspectiva de ascensão social e de recolocação no mundo do trabalho, com mais dignidade, melhoria da produtividade e geração de emprego e renda, por meio da formação profissional de jovens e trabalhadores.
 
Dados do Governo Federal mostram que o Pronatec já garantiu formação de 5,7 milhões de matrículas, das quais 4 milhões feitas nos cursos de qualificação profissional e 1,7 milhão, nos cursos técnicos. A meta do governo é de chegar ao final deste ano com 8 milhões de matrículas, atingindo a meta estipulada quando do lançamento do programa. “Isto significa que Brasil está conseguindo ampliar a inserção produtiva e bem remunerada de jovens e adultos, num ambiente laboral cada vez mais exigente”, constatou Armando.
 
Mereceu destaque do senador o fato de 60% das matrículas do Pronatec terem sido feitas por jovens com idade entre 17 e 29 anos, o que, segundo ele, mostra que estas pessoas veem no programa a oportunidade de melhorar a formação e conseguir um bom emprego. “Para o Brasil, que precisa cada vez mais de técnicos e de trabalhadores qualificados, para aumentar a produtividade nas nossas empresas e a competitividade da economia brasileira, isso é muito bom”, disse. Ele destacou que, em 2013, os cursos do Pronatec podiam ser encontrados em 3.200 municípios e que, este ano, chegarão a 4.260 cidades, garantindo, assim, educação profissional também a quem vive longe dos grandes centros
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.