2 de fevereiro de 2015 às 10:45h

Renan é reeleito no Senado e diz que propostas eleitorais devem partir do Congresso

 
O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) foi reeleito para a presidência do Senado e disse, neste domingo (1º), que sua prioridade será encontrar consenso para votar a reforma política e as medidas de ajuste fiscal do governo “sem abrir mão das conquistas do povo brasileiro”.
 
No discurso da vitória, Calheiros defendeu que as mudanças nas regras eleitorais sejam primeiro aprovadas pelo Congresso para depois serem submetidas a referendo popular e que comecem por plebiscito, como propôs o governo. Na economia, pregou “maior diálogo com setores produtivos e com a sociedade organizada”.
 
“Os senadores tomaram posse hoje, um terço do Senado, e esperamos construir um consenso para que tenhamos uma agenda econômica e façamos num curto espaço de tempo a reforma política”, afirmou.
 
Renan ainda aproveitou o discurso para agradecer aos colegas pela “renovação da confiança”. “Me obriga a redobrar o trabalho, triplicar o ânimo, quadriplicar a vontade de acertar para corresponder ao crédito que me foi concedido pelos senadores”, afirmou.
 
Renan, que já foi investigado por usar dinheiro de lobista e ter renunciado ao mandato de Senador, em 2007, assume o quarto mandato. O primeiro foi em fevereiro de 2005, foi reconduzido em 2007 – quando renunciou – e mm 2013, quando voltou ao Senado foi eleito mais uma vez.
 
Nos últimos dois anos em que esteve à frente do Senado, Renan teve confrontos com o Supremo Tribunal Federal (STF), ao qual acusou de interferir nos trabalhos do Legislativo, e ajudou o Palácio do Planalto a garantir a aprovação de projetos importantes, como a Lei dos Portos e a alteração da meta de superávit de 2014.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.