30 de novembro de 2015 às 11:16h

Reservatórios inadequados fazem casos de dengue crescerem 550%

Equipes entregam peixes para moradores em Caruaru Foto: Divulgação/ Assessoria.

Equipes entregam peixes para moradores em Caruaru
Foto: Divulgação/ Assessoria.


 
O armazenamento de água em reservatórios inadeaquados é o principal fator para o aumento de casos de dengue, em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. De acordo com Paulo Florêncio, coordenador da vigilância, os casos da doença cresceram 550% em 2015 em relação ao número registrado no ano passado. “Nós temos um caso de chikungunya confirmado, nenhum de zica e 467 casos de dengue. Vários fatores contribuíram para esse crescimento, mas o que mais facilita a vida dos mosquitos é o armazenamento de água em reservatórios inadequados”.
 
Os moradores do município, que enfrentam um racionamento de água, estão utilizando os mais diversos tipos de reservatórios para armazenar o líquido. De acordo com Paulo Florêncio, é comum durante as visitas feitas pelo 120 agente de combate à endemias encontrar água armazenada de forma irregular. “Com a seca, o racionamento, as pessoas estão aproveitando tudo para guardar água e não têm tomado o cuidado necessário. A equipe chega para a visita e encontra água em garrafa pet, balde, bacia e até em caçarola de cozinhar. É complicado combater o mosquito sem ajuda. A gente orienta que as pessoas façam o que for possível para cobrir a água. Pode colocar um pano, um plástico”, explica.
 
Ainda segundo o coordenador da vigilância, outros dois fatores contribuíram diretamente para o aumento de casos da doença. “A gente percebe que está mais quente no município. Essas altas temperaturas têm feito o mosquito se reproduzir de forma mais rápida. Além disso, nós estamos encontrando focos tanto em água limpa quanto em água suja, o que dificulta ainda mais o combate. É preciso que a população não descarte lixo nos córregos, mantenha as lixeiras fechadas em casa e deixe toda a água fora do alcance do Aedes Aegypit”, detalha.
 
A Vigilância Sanitária de Caruaru distrui ainda peixes que impedem a proliferação dos mosquitos. Os agentes de endemias colocam os peixes nos reservatórios das casas.

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.