4 de agosto de 2014 às 08:26h

Se eleição fosse hoje, Eduardo perderia em PE

presidente-580x465
 
Do Blog de Jamildo
 
O legado político deixado pelo ex-presidente Lula (PT) ainda exerce forte influência sobre os eleitores de Pernambuco. Ao menos esse é o reflexo dos números da pesquisa do Instituto Maurício de Nassau (IPMN), encomendada pelo Portal Leia Já, e publicada em parceria com o Jornal do Commercio.
 
No levantamento, divulgado nesta segunda-feira (4), a presidente Dilma Rousseff (PT), candidata apoiada por Lula, desponta com 40% das intenções de voto para presidente enquanto o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) está com 30%. O tucano Aécio Neves segue distante na disputa por voto no Estado e aparece com apenas 4%.
 
Os dados fazem parte da pesquisa estimulada, quando aparecem listados os nomes dos postulantes.
 
Segundo o economista Maurício Romão, um dos coordenadores do estudo, a influência de Lula no Nordeste ainda é muito forte e esse resultado da análise se deve “mais pela figura do ex-presidente e menos por Dilma”.
 
“Ele tem um respeito muito grande em meio aos nordestinos e essa memória do eleitor se manifesta nos números”, explica.
 
Quanto à aparente contradição entre a boa avaliação do governo de Eduardo Campos (PSB) durante os últimos sete anos (54%) e a intenção de votos para o socialista, Romão explica que a transferência de escolha não é direta.
 
“Eduardo não é mais governador. Ele está ausente do Estado para se dedicar à campanha como presidenciável e então isso também influencia. Toda ausência é sentida”, observou.
 
Os votos brancos e nulos somaram 14%. Já as pessoas que não souberam ou não quiseram responder atingiram 12% do total. A soma é bem inferior ao resultado global da disputa.
 
REGIÕES – Quando se divide o Estado por regiões, a situação é de equilíbrio entre os dois candidatos. Dilma vence em quatro áreas (Recife, Agreste, Sertão e Sertão do São Francisco). Eduardo assume a dianteira no Grande Recife (34% x 33%) e na Zona da Mata (37% x 35%). No Recife, maior colégio eleitoral de Pernambuco, há um empate técnico. A petista obteve 32% dos votos e Eduardo ficou com 31%.
 
ESPONTÂNEA -Na pesquisa espontânea (quando não é dito ao eleitor o nome do candidatos), Dilma também assume a liderança com 36% das intenções de voto. Eduardo tem 24%. Lula, que não é candidato, também é mencionado e recebeu 3% dos votos, mesmo percentual de Aécio Neves. Brancos, nulos ou nenhum destes somam 10%, enquanto 22% não sabe ou não respondeu.
 
Aécio luta contra o desconhecimento. De acordo com os dados da pesquisa, 39% dos entrevistados pernambucanos nunca ouviu falar do mineiro. Só 3% nunca ouviu falar de Dilma, enquanto 5% nunca ouviu falar no socialista, depois de sete anos de governo.
 
As entrevistas foram realizadas entre os dias 28 e 29 de julho, período em que aconteceu a greve dos rodoviários no Grande Recife. A pesquisa entrevistou 2.482 pessoas em todas as regiões do Estado. A margem de erro está estimada em dois pontos percentuais, para mais ou menos.
 
A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral sob o número BR-00260/2014.
 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.