25 de julho de 2016 às 14:30h

Secretaria de Ressocialização diz que rebelião foi contida na PJPS

Em nota, a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) informou que a rebelião iniciada na manhã desta segunda-feira (25), na Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru, foi contida, com nove feridos.

 

Os presos realizaram outra rebelião no sábado (23), ateando fogo nos pavilhões – dos quais apenas a cozinha e o setor de disciplina ficaram intactos. Ao todo, a Penitenciária comporta 1.922 presos, com cerca de seis agentes por dia. Um dos motivos da rebelião foi o chaveiro, que é um detento que cuida das chaves das celas e pavilhões.

 

Em entrevista para a Rádio Jornal, o secretário de Justiça de Pernambuco, Pedro Eurico, disse que não há negociação com os presidiários. “Neste governo, preso não vai definir o futuro da cadeia. Além disso, eles queriam drogas, porque as drogas estavam acabando. Como vamos distribuir drogas? Não vamos entregar o galinheiro para as raposas. Não existe essa figura de chaveiro. É uma bobagem. Existe pessoas que querem ter liderança na cadeia, umas querem para o bem, outras querem para o mal e essas nós não vamos tolerar. Já transferimos presos para Tacaimbó e vamos transferir mais”, disse o secretário.

 

Confira a nota da Seres na íntegra:

 

A Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) informa que foi controlado no fim da manhã desta segunda-feira um principio de motim na Penitenciária Juiz Plácido de Souza (PJPS), em Caruraru. Nove reeducandos feridos foram encaminhados ao Hospital Regional do Agreste, outros detentos com ferimentos leves estão sendo atendidos na própria unidade. O Batalhão de Choque, o Batalhão Especializado de Policiamento do Interior e Agentes Penitenciários estão no local. O secretário executivo de Ressocialização, Cícero Rodrigues também se encontra a unidade.

 

A Secretaria reafirma que desde o último sábado todas as ações estão sendo tomadas para manter a ordem dentro da unidade, pois compete ao Estado o total controle do Sistema Penitenciário de Pernambuco. O Governo de Pernambuco vai agir com rigor para coibir qualquer ato de violência e depredação do patrimônio público, bem como qualquer violação aos direitos humanos.

 

 

Comentários


Você pode reproduzir esta matéria, desde que seja citada a fonte.